About Me

sexta-feira, outubro 28, 2016

Entrevista com a autora Gabriella Pinheiro

| |
Oi leitores!
Vim apresentar para vocês a nossa nova parceira, autora da saga As Crônicas de Kennaya. 
Fiz uma entrevista rápidinha com ela. Segue o post e confira!




 1. Me fale um pouco sobre você.
É muito difícil falar de si mesma hahaha, mas vamos lá! Me chamo Gabriela Pinheiro e sou apaixonada por livros! De verdade! (tenho mais de 1700 na minha casa). Sou desenhista desde pequena e adoro ciências. Casada, tenho um filho (humano kkk) que se chama Miguel Aquiles e dois filhos de espécies diferentes, Banguela minha cachorra e Elvis meu felino. Sou uma pessoa que gosto de falar e que começou a escrever aos 13 anos de idade. Estou me formando na USP em ciências da Natureza e tenho 26 anos.

    2.Como surgiu seu interesse pelo Universo Literário?
Desde pequenas sempre gostei muito de livros, mas quando entrei no ensino fundamental, fui para uma escola que tinha uma biblioteca ENORME! Amava ir naquele lugar e fiz amizade com o senhor que cuidava da biblioteca, comecei a ler livros como “as aventuras de Banze”, “o vampiro que descobriu o Brasil” e pequenas histórias como “a turma dos tigres”, “história sem fim” e muito mais (nossa, muito fundo do baú as aventuras de Banzé kkk)

 3.Como e quando surgiu sua vontade de escrever?
Faz tempo viu! Comecei com uns 13 à 14 anos de idade. Tinha um cachorro que era meu companheiro por toda parte, chamava Tedy. Como sempre gostei muito de histórias fantásticas e adquiri um vicio de leitura louco após começar a ler Harry Potter, eu queria criar um mundo em que eu e o Tedy pudéssemos viver aventuras, foi quando comecei a criar personagens, cidades e mundos... foi os primeiros rascunhos da série As crônicas de Kennaya.

4.    De que fala seu primeiro livro? Acaiah.
Eu sou a pior pessoa para falar do meu livro, pois falo demais, solto muito spoiler! Hahaha, mas vou tentar me segurar! O Acaiah é um livro principalmente de aventura, fantasia, e romance. Sahgua Khalil é uma das personagens principais desta trama, sempre foi risonha, alegre e acima de tudo, conhecida por sua tamanha beleza e pelo seu companheiro fiel Kamots, um cão negro peludo. A floresta de Asban, próxima ao parque da cidade de  Wendel sempre atraiu a pequena Sahgua, e lá, foi quando conheceu as pessoas que seriam mais importantes em sua vida, mas também os maiores inimigos que poderia pensar em ter. Com o passar dos anos coisas estranhas começam a acontecer, e tudo toma início com um grande reencontro; Sath Aquiles, o inimigo de infância de Sahgua estava de volta depois de 6 anos da morte de seus pais em que ele foi embora da cidade. Ele estava crescido, mudado e para a surpresa de Sahgua; Ele era herdeiro do grande reinado de Lincitter; Príncipe Aquiles. Mesmo com tudo, parecia que com sua volta veio todos os problemas. Vários assassinatos começam a ocorrer em Wendel seguido de roubos estranhos de livros. Sahgua acaba se metendo no meio de tudo isso, e mesmo querendo se ver livre do insuportável “príncipe Aquiles”, ela conta com a ajuda de seu cão Kamots e seu amigo da floresta para sair dessas enrascadas.

5.        Você se inspira em algum escritor para escrever? Qual?
Nossa... não tenho nem o que dizer... A escritora que mais me deu inspiração foi a J.K. Rowling e não pela história dela ser maravilhosa. Estamos falando de uma saga que seu inicio conversa com todos os livros até o final, mas sim da pessoa que a Rowling é. Me vejo muito nela pela dificuldade que ela teve no inicio para publicar seu livro e até mesmo das histórias dela de escrever em cafeterias com criança pequena.... hahahaha... muito eu... É nela que me inspiro e que me deu sempre forças quando pensei em desistir.

6.                 De onde surgiu o nome Acaiah?
O nome O Acaiah foi engraçado. Este primeiro livro chamou-se por muito tempo com o subtítulo “ e o alma de Anjo” já que a saga mesmo sempre foi Kennaya. Acho que se chamou assim até meus 18 anos. Foi quando eu comecei a trabalhar em uma grande rede de livrarias (suspeito para alguém que amava ler kkk) Lá era meu sonho de consumo e eu achei um livro de significados de nomes. Era tudo que eu precisava naquele momento e não porque estava pensando em já ter um filho hahahaha. Lá encontrei nomes como “O Acaiah – que em hebraico significa anjo protetor ou aquele que protege” e diversos nomes que acabei como “Cajaty -  que do Tupi significa Grande árvore) também acabou aparecendo no livro.

7.                 Quanto tempo você levou desde escrever o livro até a publicação?
A série “As crônicas de Kennaya” eu escrevo desde os 13 anos. A trama era estruturada em uma trilogia no inicio, mas conforme eu fui crescendo, muitas ideias foram amadurecendo e hoje a trama toda esta estruturada em 5 livros. Eu quis sempre estruturar o inicio com o final, pois detestava livros que começassem bem com uma trama legal e com o final catastrófico, por isso sempre escrevia todos os livros juntos em paralelo. O Acaiah e o livro 2 Occasus já estavam prontos desde 2010, apenas uma correção aqui e ali. Procurei editoras neste meio tempo, todas amavam o livro, mas sempre a mesma coisa, por ser autor brasileiro você banca a primeira tiragem ou parte dela, estamos falando em uma média de um bom dinheiro para investir. É triste, mas é a realidade. Este ano publiquei o Acaiah independente sem editora em Julho, então se fizer as contas de que comecei a escrever a saga em 2004 e publiquei o Acaiah em julho de 2016 dão 12 anos certo =D

8.                 A quem vc dedica o seu livro ?
Primeiramente ao meu marido... eu sempre tive as crônicas de Kennaya e todos sabiam que eu escrevia, mas ninguém nunca tinha lido. Ninguém em mais de 7 anos! Eu tinha 3 livros escritos, sem nenhuma perspectiva de publicação, como se eu tivesse criado um mundo apenas para mim me divertir lendo e relendo, amava reler meus livros! Ele foi o primeiro que leu, o primeiro que corrigiu as milhares de letras comidas hahahaha. Foi o primeiro que disse: “Isso não vai ficar apenas para nós lermos!”

9.                 A onde está sendo vendido seu livro?
Como estamos sem editora, vendemos em parceria com o clube do autor. Lá não precisa fazer estoque nem nada. Seu livro fica online e quando alguém compra um eles mandam este único para gráfica e entregam para o cliente sem cobrar nada do autor, eles colocam um preço de custo e você diz quanto quer ganhar em cima. Eu ganho 5 reais por livro hahahaha, mas vale a pena a pena no final, só de saber que todos podem ler, vale a pena! No nosso site oficial tem um link para compra.

Para entrar no site Click aqui!

10.             Em média quantas pessoas já o leu, e quantos "parceiros" vc tem no total pra lhe ajudar na "divulgação".
Quantas pessoas já leram é bem difícil... deixa eu ver... em uma média pelos meus parceiros e pelo clube do autor acho que umas 100 pessoas pelo menos já leram! Ou quase isso... Todos os feedbacks que eu recebi até hoje as pessoas gostaram, principalmente dos desenhos que foi uma coisa que eu quase não coloco no livro hahaha, meus irmãos e meu marido que me atormentaram que eu tinha que por! Foi divertido saber o que as pessoas achavam! Hoje eu tenho 25 parceiros que me ajudam na divulgação. A maior parte deles são no Instagram! Amo todos eles são fantásticos e atenciosos! Nunca pensei que seria tão bom esse contato! Mas na divulgação tenho também pessoas muito forte me ajudando como meus irmãos, tios, primos e amigos... principalmente pelo facebook!

11.             Por fim, deixe uma frase que lhe inspira a cada dia, para que inspire também quem está lendo a entrevista e para mim.*---*

Eu disse isso uma vez para uma amiga parceira e quero dizer a todos...
“ Quando lemos um livro, não apenas viramos páginas e traduzimos letras, nós entramos em mundos inimagináveis, fazemos amigos, inimigos... por vezes até nos apaixonamos... por isso nunca percam o amor e a paixão pela leitura! Ela é algo que transforma nossas vidas e ninguém tira de nós!”


   Então gente, essa foi a entrevista com a noossa parceira Gabriela Pinheiro. Espero que tenham gostado. Entrem no site dela Clicando aqui e adquira já o seu exemplar de O Acaiah!

            Até a próxima entrevista com Muniz de Albuquerque e Judie Castilho! *----------*


www.cronicasdekennaya.wixsite.com/oficial



                                                                                             

   

2 comentários:

  1. "O Acaiah" já esta na minha TBR 2017 😄

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, Leia mesmo. Comecei a leitura dele ontem e já estou muito envolvida pela história. Mesmo estando tarde da noite, morrendo de sono, mais não consigo para de ler esse livro hahaha. Vc vai adorar também! ^.^

      Excluir